Cidades

Guararapes em estado de alerta devido ao índice de infestação do Aedes aegypti

O Departamento Municipal de Saúde, por meio da Vigilância Sanitária, divulgou nesta semana, o primeiro Levantamento de Índice Rápido do Aedes aegypti (LIRAa) realizado em Guararapes entre os dias 4 a 12 de janeiro de 2018. O levantamento é feito a cada três meses nos municípios e tem como objetivo avaliar a infestação do mosquito transmissor de doenças como a dengue, a chikungunya, o zika vírus e a febre amarela.

O índice de infestação do mosquito foi de 7.58 classificado como situação de alerta, quando o índice considerado pela Organização Mundial de Saúde é de 0.5.

Para se ter uma ideia, em menos de 45 dias os agentes de endemias encontraram 250 residências contendo larvas. Os principais locais onde foram encontrados os criadouros do Aedes Aegypti são: vasos de plantas e ralo interno. Os moradores foram notificados pela VISA e se houver reincidência estará sujeito a multa. Essa multa é uma lei estadual 10.083 de 23 de setembro de 1998 que custa, em média, R$ 300,00.

O trabalho contra a dengue vem sendo feito através de arrastões e vistoria constante nos quintais das residências, empresas e outros locais para eliminar qualquer acumulo de água que possa facilitar o desenvolvimento do vetor.

Os serviços envolvem 25 agentes comunitários de saúde e 13 agentes de endemias. Neste mês de fevereiro os números de larvas têm diminuído devido ao trabalho intenso da VISA.

No município existem registrados três casos confirmados de dengue. Em torno da residência em que mora o paciente que contraiu a doença, a Vigilância Sanitária tem realizado ações de bloqueio e aplicações de inseticidas.

Segundo a Educadora de IEC – Informação, Educação e Comunicação, Elaine Lagrotti, os agentes têm encontrado muita resistência por parte dos moradores em relação à aplicação do inseticida. “A pessoa que não autorizar a entrada dos agentes, um termo de recusa é assinado pelo morador”, explica. Lembrando que agora o inseticida é diluído na água, não gruda nas paredes e não tem cheiro.

A Vigilância Sanitária e a Vigilância Epidemiológica continuam juntas, nas estratégias de combate à dengue, utilizando todos os recursos disponíveis e pedindo que a população, não relaxe a atenção para o perigo e continue tomando medidas preventivas contra a doença.

Da Redação

marcio123rocha Administrator
Sorry! The Author has not filled his profile.
×
marcio123rocha Administrator
Sorry! The Author has not filled his profile.

Comment here