CidadesPlantão Policial

Cabeleireira é detida depois de dirigir de Coroados a Araçatuba na contramão

Uma cabeleireira de 34 anos foi detida no sábado (14) depois de dirigir sob o efeito de álcool de Coroados até a Araçatuba pela contramão da rodovia Marechal Rondon (SP-300). A mulher ainda não respeitou o sinal de parada dos policiais rodoviários e só foi abordada depois de seis quilômetros de perseguição.

De acordo com informações do boletim de ocorrência, a indiciada conduzia um veículo Hyundai/HB 20 no sentido Capital/Interior pela contramão. Na altura do quilômetro 521, uma viatura da Polícia Rodoviária fazia patrulhamento preventivo quando avistou o carro prosseguindo irregularmente. As equipes deram ordem de parada ao automóvel, com sinais luminosos e sonoros, mas a motorista não obedeceu e continuou seguindo viagem. Os policiais só conseguiram abordá-la cerca de seis quilômetros depois.

A condutora, identificada como uma cabeleireira, encostou o carro em um local que oferecia risco à vida dela e dos outros motoristas. Os PMs perceberam que a investigada carregava uma garrafa de vinho entre as pernas e tinha dificuldade para descer do automóvel. Com a ajuda das equipes, ela levantou-se e confessou a ingestão da bebida alcoólica. A mulher revelou ainda que teria se perdido ao voltar para Araçatuba e pensou que tivesse dirigindo pela mão correta.

A indiciada não portava nenhum tipo de documento pessoal e nem do veículo. Os policiais conseguiram ter acesso às informações dela por meio de um banco de dados do governo do estado de São Paulo. No meio do atendimento da ocorrência, a polícia recebeu informações de outra equipe policial que atendia um acidente em Coroados, dando conta que o veículo HB20 teria sido visto trafegando pela contramão no município. A polícia acredita que a mulher realmente estava seguindo viagem por pelo menos 20 quilômetros.

A cabeleireira negou a fazer o teste do bafômetro e foi encaminhada até a Central de Flagrantes, onde prestou depoimento. Ela permitiu a coleta de sangue para o exame clínico de embriaguez. O laudo completo deverá sair em até dez dias. Ainda segundo a polícia, o médico legista do IML (Instituto Médico Legal) também fez alguns exames, que deram negativo para os indicativos de embriaguez, sendo atestado que a investigada não colocaria em risco a segurança própria ou alheia.

Diante dos fatos, a mulher foi autuada administrativamente por ter recusado a fazer o teste do bafômetro, prestou depoimento e foi liberada em seguida. O carro dela permaneceu apreendido na sede da Polícia Rodoviária de Araçatuba até uma pessoa habilitada retirá-lo. Um inquérito foi aberto pelo primeiro distrito policial do município, que dará andamento às investigações.

marcio123rocha Administrator
Sorry! The Author has not filled his profile.
×
marcio123rocha Administrator
Sorry! The Author has not filled his profile.

Comment here