AraçatubaCidades

MUNICÍPIOS PREPARAM AÇÕES PARA MÊS DEDICADO AO COMBATE ÀS HEPATITES

Elas são doenças silenciosas que atingem milhões de brasileiros. Assim como o câncer, que exige prevenção e ganhou meses dedicados a ações de alerta (“outubro rosa” e “novembro azul”), com as hepatites virais, não foi diferente. Por isso, estão no foco de iniciativas promovidas pelos municípios neste mês.
Pelo menos duas das maiores prefeituras da região de Araçatuba – Birigui e Guararapes – acabam de divulgar suas programações para o chamado “Julho Amarelo”.
Na capital do calçado infantil, o programa DST/Aids e Hepatites Virais promove diversas ações de intensificação de diagnóstico, prevenção e educação sobre hepatites B e C. De acordo com a administração municipal, esta será a 2ª Campanha de Luta Contra as Hepatites Virais. Testes rápidos estão sendo intensificados nas dez UBSs (Unidades Básicas de Saúde) e no CTA (Centro de Testagem e Aconselhamento), que fica anexo ao Centro de Especialidades Médicas. A única exigência para a realização do exame é a apresentação de documento oficial com foto.
Mas é para 28 de julho, um sábado, Dia Mundial da Luta contra Hepatites Virais, que as ações serão mais incisivas. Nesse dia, a Secretaria Municipal de Saúde promoverá o Dia D da campanha, razão pela qual o Centro de Testagem e Aconselhamento ficará aberto das 8h às 16h para oferecer à população testes rápidos gratuitos não só de hepatites B e C, como HIV e sífilis também.
“O teste é seguro, sigiloso e feito com punção digital (parecido com exame de glicemia), não sendo necessário estar de jejum. O resultado é liberado em cerca de 30 minutos, portanto, os pacientes podem levar seus resultados na hora”, disse a diretora da Vigilância Epidemiológica de Birigui, Mauricéia Bruna Alves Gonçalves, em nota enviada pela assessoria de imprensa da Prefeitura.

POR 15 DIAS
Já em Guararapes, a campanha está com início marcado para 16 de julho e vai até o último dia do mês. Apesar de, neste ano, ainda não ter sido registrado nenhum caso, os números do último ano despertaram a atenção das autoridades de saúde locais. De acordo com a Vigilância Epidemiológica do município, de 2015 a 2017, foram 11 registros de hepatite C no município, enquanto da B, dois.
Estão previstas ações educativas de orientação. As pessoas que estiverem com a vacina de hepatite B em atraso vão poder receber a dose, que é indicada para todas as idades nas três UBSs (Unidades Básicas de Saúde): Dr. Akira Motomatsu, Dr. Norman Storto (o “Postão”) e Severino Poleto. É necessário levar a carteira de vacinação.
Além dessas iniciativas, como já ocorre ao longo de todo o ano, continuarão a ser realizados exames de sangue para detecção das hepatites B e C, de segunda a sexta-feira, das 7h às 11h.
A exemplo de Birigui, 28 de julho será o “Dia D”. Todas as unidades básicas de saúde estarão abertas das 8h às 15h para a realização dos testes rápidos.

PLANO MAIOR
O esforço dos municípios com a campanha vai ao encontro de um plano do Ministério da Saúde definido em acordo com todos os entes da federação. Uma decisão do órgão federal pactuado com estados e municípios pretende eliminar a hepatite C no Brasil até 2030. Para isso, a ideia é simplificar o diagnóstico, ampliar a testagem e fortalecer o atendimento às hepatites virais.

O que é?

A hepatite é uma inflamação do fígado, causada por vírus e quase sempre sem sintomas. No Brasil, as hepatites virais mais comuns são as causadas pelos vírus A, B e C. Existem, ainda, os vírus D e E, esse último mais frequente na África e na Ásia. Essas doenças podem evoluir e se tornarem crônicas, causando danos mais graves ao fígado como cirrose e câncer.

Transmissão

A hepatite A é transmitida por meio de água e alimentos contaminados por fezes ou pelo contato da mão suja de fezes com a boca.
As hepatites B e C podem ser transmitidas por sangue contaminado presentes em objetos (agulhas, alicates de unha, aparelho de barbear), pelo uso de material não esterilizado na colocação de piercing, tatuagem, em procedimentos cirúrgicos e pelo sexo desprotegido. A hepatite B é uma infecção sexualmente transmissível muito fácil de pegar. Também podem ser transmitidas da mãe portadora do vírus para o filho, principalmente no momento do parto.

ARNON GOMES
Araçatuba

marcio123rocha Administrator
Sorry! The Author has not filled his profile.
×
marcio123rocha Administrator
Sorry! The Author has not filled his profile.

Comment here