Araçatuba

Aipesp: 21 anos de dedicação ao policial civil

Há vários anos sem reajuste salarial e com ineficiência do Instituto de Assistência Médica do Servidor Público Estadual (Iamspe), os policiais civis, assim como outras categorias do serviço público estadual de São Paulo, são obrigados a recorrer a planos de saúde ou tratamentos particulares, o que reduz ainda mais o orçamento doméstico. Por isso, a Associação dos Investigadores de Polícia do Estado de São Paulo, a Aipesp, está direcionando o seu trabalhando na área de saúde, além dos inúmeros serviços que presta. “Como diz o presidente e fundador Vanderlei Bailoni, a Aipesp é a mais bem estruturada e a maior associação policial civil da América Latina”, diz o diretor jurídico da entidade, Antônio Edwaldo Dunga Costa.

O fundador e presidente da Aipesp, Vanderlei Bailoni, tem mais 40 anos de atuação na polícia e mais de três décadas atuando como representante classista. Foi fundador e presidente da primeira associação de investigadores, depois transformada em sindicato da categoria, graças às mudanças na legislação garantidas pela Constituição Federal de 1988. Foi diretor também do sindicato e depois afastou-se. Em 11 de setembro de 1997 fundou a Aipesp. “Hoje zelamos de 20 mil vidas”, afirma Baioloni para dimensionar o tamanho da responsabilidade. Recentemente, Bailoni e outros diretores, como o vice-presidente Jair Stirbulov, estiveram em Araçatuba para comemorar os 21 anos da entidade, os oito anos da subsede de Araçatuba e o primeiro ano da Aipesp Saúde de Araçatuba.

Em entrevista ao jornal O LIBERAL REGIONAL, Bailoni falou das conquistas da entidade nestas duas décadas, como sede própria em São Paulo, subsedes em Bauru e Araçatuba, colônias de férias em Peruíbe e Campos do Jordão, assistência médica, assistência jurídica para o associado e cônjuge, em todas as áreas do direito, de graça, salão de beleza, podologia, dentista, auditório, e muitos outros. “Agora compramos um prédio e vamos instalar o Hospital Aipesp, em mais um ação pioneira para entidade de classe. Queremos oferecer o melhor para nossos associados e saúde é qualidade de vida”, disse Bailoni, eufórico com a conquista. Na oportunidade, o presidente falou também de outro projeto em tramitação junto às autoridades financeira do país: a Financeira Aipesp, uma entidade voltada para o crédito aos associados. Ele espera concluir as negociações e ter autorização para funcionar nos próximos meses.

AIPESP ARAÇATUBA AMPLIA SERVIÇOS NA ÁREA DA SAÚDE
A subsede da Aipesp Araçatuba foi instalada há oito anos e funciona em sede própria, na esquisa das ruas Cristiano Olsen e Saudade há vários anos. Vários serviços foram colocados à disposição dos associados, como dentista, cabeleireiro e vários outros, tudo de graça. Porém, o responsável pela subsede, Antônio Edwaldo Dunga, sabia que um grande problema para os policiais civis era exatamente a saúde. As instituições oficiais do estado não atendem adequadamente e isso gerava muitos problemas. “Por isso atuamos junto à direção da Aipesp para instalarmos uma clínica. Foi um longo trabalho, muitas reuniões e elevados investimentos. Hoje a Aipesp Saúde é uma realidade”, diz Dunga. Para instalação da clínica foram investidos quase R$ 3 milhões.

Para funcionamento da Clínica Aipesp foi firmado convênio com o médico doutor Leônidas Milioni Júnior. Atualmente são oferecidos serviços em 14 especialidades médicas, além de outros serviços, como esteticista, fisioterapia (pilates), podologia, ecocardiograma e em breve esteira ergométrica. “Muitos destes serviços são gratuitos. Além disso, temos condições especiais para planos de saúde, como o Santa Casa Saúde. Os associados da Aipesp, graças a uma parceria, têm o cartão Central Card, com o qual têm direito a consultas de várias especialidades, exames complexos e de laboratórios e até mesmo atendimento de emergência, tudo a custos especiais”, explicou Dunga, frisando que para ter acesso a todos estes benefícios, o policial civil paga apenas R$ 39,00.

Para o diretor jurídico da Aipesp, a ampliação de serviços na área de saúde, assistência jurídica e vários outros, é uma forma de contribuir com o policial civil no sentido de reduzir seus custos em despesas essenciais.

Da Redação

marcio123rocha Administrator
Sorry! The Author has not filled his profile.
×
marcio123rocha Administrator
Sorry! The Author has not filled his profile.

Comment here