Plantão Policial

Comerciante que foi prensada por caminhonete em comércio recebe alta

Depois de 44 dias de muito sofrimento, dor e o sentimento de injustiça, a comerciante Eliane Negrelli, que foi prensada contra a parede do próprio estabelecimento comercial em Buritama, recebeu alta do Hospital de Base de São José do Rio Preto, onde estava internada depois de ser transferida da Santa Casa de Araçatuba.

Negrelli recebeu alta no começo da noite de segunda-feira (08). A vítima sofreu fraturas na bacia e no joelho. A partir de agora, ela terá uma longa jornada até se recuperar totalmente junto com a família, que é de José Bonifácio, município localizado a 112 quilômetros de Araçatuba.

Depois de tantos dias, o crime ainda continua sem uma resposta definitiva, já que o suspeito, o empresário Isac Alexandre Gaspar Pinto, de 44 anos, ainda está foragido. A Polícia Civil já está com o pedido de prisão temporária do acusado, mas ainda não tem pistas de seu paradeiro.

INVESTIGAÇÕES

Quando ainda estava internada na Santa Casa de Araçatuba, Negrelli prestou depoimento pela primeira vez. O interrogatório durou mais de duas horas e só foi terminar já na hora do almoço. Para a polícia, com o depoimento da vítima, ficou claro que Isac agiu de forma intencional. O que chamou mais a atenção do delegado Nilton Marinho, responsável pelas investigações, foi o fato da empresária ter sentido os ossos quebrarem durante a ação. Por conta disso, não restam dúvidas para a polícia de que houve o dolo.

Ainda de acordo com a polícia, na noite do crime, Isac e a esposa fugiram para a casa de amigos em Votuporanga, na região de São José do Rio Preto. O delegado também não descarta a hipótese de indiciá-la por participação na tentativa de homicídio.

CASO

Segundo a polícia, a ação teve início pouco mais da meia noite de sábado, dia 25 de agosto. O empresário e a esposa estavam dentro do comércio quando começaram uma discussão com um grupo de amigos. O acusado ficou bastante exaltado.

Para evitar mais confusão, a proprietária do depósito decidiu fechar o estabelecimento. O autor ficou indignado com tudo aquilo, foi até a área externa e começou a atirar pedras contra a porta de vidro do local, na tentativa de quebrá-la.

Não satisfeito, o indiciado entrou em sua caminhonete F250 e a jogou contra a fachada da lanchonete, causando muitos estragos. Na sequência, ele engatou a marcha ré e pela segunda vez jogou o veículo contra o prédio e nesse momento a dona entrou na frente e tentou impedir o ato, quando foi atropelada e prensada contra a parede. A parte da frente do local ficou destruída. Além do vidro da porta ter sido quebrado, o motorista ainda derrubou parte da parede com o impacto.

marcio123rocha Administrator
Sorry! The Author has not filled his profile.
×
marcio123rocha Administrator
Sorry! The Author has not filled his profile.

Comment here