AraçatubaCidades

Segundo turno da sucessão estadual mobiliza prefeitos da região de Araçatuba

ARNON GOMES – ARAÇATUBA

O segundo turno da eleição para governador de São Paulo, entre os candidatos João Doria (PSDB) e Márcio França (PSB), provocou, nesta semana, uma divisão entre os prefeitos das maiores cidades da região.
De um lado, está grupo político ligado a Dilador Borges (PSDB), de Araçatuba, engajado em agregar o maior número de governantes ao bloco de apoio à candidatura tucana ao Palácio dos Bandeirantes. De outro, há um movimento liderado pelo biriguiense Cristiano Salmeirão (PTB) e o penapolense Célio de Oliveira (sem partido) a fim de montar ampla base a favor de França.
Em comum, as duas mobilizações buscam trazer a maior parte dos governantes das 43 cidades. No primeiro turno, realizado domingo passado, Doria venceu com 31,77% dos votos válidos, seguido de França com 21,53%. Na região, Doria foi o mais votado em três das quatro maiores cidades: Araçatuba, Birigui e Andradina. Penápolis e municípios de pequeno e médio portes votaram, em sua maioria, no candidato socialista.

TUCANOS
De acordo com fontes ligadas à articulação política de Dilador, a estratégia regional será seguir jogada política de Doria voltada a desconstruir o adversário, ligando-o ao candidato do PT que disputa o segundo turno da eleição presidencial, Fernando Haddad. Nesta semana, o PSB, partido de França, anunciou que estará com Haddad na fase final da corrida ao Palácio do Planalto. Da mesma forma, afirmam os tucanos, todo o trabalho a ser feito nas próximas semanas será o de mostrar ao eleitorado regional que, no Estado, o candidato mais identificado com o presidenciável Jair Bolsonaro (PSL), vencedor do primeiro turno, é João Doria.
“Trata-se de uma estratégia de convencimento. Aqui, não tem faca no pescoço”, afirmou um tucano de alta plumagem, que pediu para ter a identidade preservada. “Sabemos que o partido está bastante rachado em níveis estadual e nacional, mas, por aqui (na região), nosso objetivo é buscar a unidade”, completou. Na região, o PSDB é o partido que detém o maior número de prefeituras.

SOCIALISTAS
No lado que apoia França, uma reunião deve acontecer na próxima semana com o objetivo de fechar um grupo definido. Célio fala na união de até 34 prefeitos da região. Esse número, diz ele, é resultado de um mapeamento que apontou quais prefeitos na região têm algum tipo de “simpatia” por França. “Nosso objetivo é traçar estratégia para os últimos dez dias para que os prefeitos demonstrem uma linguagem uníssona em prol da candidatura do atual governador”, diz Célio, que foi expulso do PSDB após declarar ao declarar apoio a França após o Estado anunciar, para Penápolis, a implantação de um AME Cirúrgico, objeto de “batalha” entre as três maiores cidades.
Outra razão que o faz crer que, no segundo turno, França venha a levar a melhor é o fato de muitos municípios terem sido beneficiados com recursos estaduais, para diferentes benfeitorias, desde abril. Naquele mês, França, então vice-governador, assumiu a linha de frente do Palácio dos Bandeirantes com a renúncia de Geraldo Alckmin (PSDB) para a disputar a presidência da República. Segundo Célio, há também a expectativa de que Alckmin venha a apoiar França, justamente como consequência da situação de racha em que se encontra o PSDB.

Propaganda eleitoral é
retomada nesta sexta-feira

Nesta sexta-feira, feriado da padroeira, começa a propaganda eleitoral gratuita no rádio e na televisão para o segundo turno dos candidatos à Presidência da República e ao Governo do Estado de São Paulo. O horário eleitoral vai até o dia 26 de outubro.
Os postulantes têm 10 minutos, divididos em dois blocos de cinco minutos para cada, concedidos de segunda-feira à sábado. Os presidenciáveis têm horário reservado das 7h às 7h10 e 12h às 12h10 no rádio, e das 13h às 13h10 e das 20h30 às 20h40 na televisão.
Já os candidatos à governador do Estado têm horário no rádio reservado das 7h10 às 7h20 e das 12h10 às 12h20. Na televisão, das 13h10 às 13h20 e das 20h40 às 20h50. Também em dois blocos de cinco minutos cada.
No mesmo período da propaganda eleitoral em rede, a legislação eleitoral estabelece que as emissoras de rádio e de televisão devem reservar, de segunda-feira a domingo, 25 minutos diários, por cada cargo em disputa, para serem usados em inserções de 30 e de 60 segundos diários.

Legislação
No segundo turno das eleições é proibida a participação na propaganda eleitoral gratuita, de filiados a partidos políticos que tenham formalizado o seu apoio a outros candidatos, de acordo com a legislação eleitoral.

marcio123rocha Administrator
Sorry! The Author has not filled his profile.
×
marcio123rocha Administrator
Sorry! The Author has not filled his profile.

Comment here