AraçatubaCidades

Simpatizantes de presidenciáveis programam atos de campanha para este fim de semana

ARNON GOMES – ARAÇATUBA

O próximo fim de semana, quando o eleitorado brasileiro estará a uma semana de ir às urnas para escolher o próximo presidente da República, deve ser marcado por atos em prol das duas candidaturas que disputam o segundo turno: as de Jair Bolsonaro (PSL) e de Fernando Haddad (PT). Ambas terão o Centro de Araçatuba como palco.
Vencedor da primeira etapa da corrida presidencial e líder nas pesquisas de intenções de votos, Bolsonaro terá manifestação a seu favor, mais uma vez, em frente à loja Havan, na avenida dos Araçás. A exemplo de passeatas anteriores em pró-Bolsonaro, a convocação dos simpatizantes tem sido feita pelas redes sociais. Eles estão sendo chamados para comparecer ao ponto de encontro a partir das 9h.
Segundo a empresária Gislaine Targa, uma das líderes do movimento, não há expectativa de público. Ela afirma que, se der bastante gente, o grupo sairá em carreata, da mesma forma como aconteceu antes do primeiro turno. Na oportunidade, apesar da chuva forte, partidários do representante do PSL fizeram cortejo por parte da área central um dia após mulheres realizarem ato denominado “Ele, não”, em repúdio à candidatura de Bolsonaro.
Gislaine diz que o trajeto ainda está em definição pela Polícia Militar, que autoriza a carreata. Caso não haja o cortejo, os manifestantes ficarão apenas concentrados em frente à Havan.
A reportagem de O LIBERAL REGIONAL apurou que o ato previsto para este domingo deverá contar com muitos militantes do PSDB, partido que, no primeiro turno, teve como candidato a presidente o ex-governador Geraldo Alckmin. Para o segundo turno, oficialmente, a legenda não declarou apoio a nenhum candidato, deixando a escolha livre para seus filiados. Entretanto, em virtude da rivalidade histórica dos tucanos com os petistas, os “bolsonaristas” aguardam grande adesão do partido que, até então, era considerado adversário.

SÁBADO
Do lado de Haddad, a manifestação está programada para sábado. Lideranças locais do Partido dos Trabalhadores preparam o ato a favor do ex-prefeito de São Paulo para a praça Rui Barbosa. A expectativa da militância é reunir entre 150 e e 200 pessoas. O horário deve ser divulgado aos correligionários nesta terça-feira.
Se, do lado de Bolsonaro, há a esperança de contar com pelo menos parte do tucanato, os petistas tentam somar forças, trazendo participantes do movimento “Ele, não” e partidos como Avante e PCdoB. No meio político regional, há tentativas também de trazer setores do PSB, mas ainda não há nada certo nesse sentido.
O Partido Socialista Brasileiro declarou apoio a Haddad no segundo turno, mas há uma nítida movimentação a fim de evitar exposição dessa aliança para que não atinja a campanha do atual governador, Márcio França, à reeleição em São Paulo. O adversário de França no segundo turno paulista, João Doria (PSDB), tem tentado, ao máximo, associar o socialista a partidos de esquerda, que enfrentam forte rejeição.
SEGURANÇA
As duas manifestações devem exigir das forças de segurança. Com o acirramento da disputa política, os ânimos também têm ficado exaltados. Conforme a coluna “Olho Vivo”, de O LIBERAL, noticiou no último domingo, tem ocorrido troca de agressões entre apoiadores dos candidatos justamente no Centro. O comitê regional de campanha do PT fica na rua XV de Novembro, de frente para o Sisema (Sindicato dos Servidores Municipais de Araçatuba), instituição onde trabalham líderes locais do PSL.

Movimento que liga Bolsonaro a Doria ganha força, enquanto prefeitos se unem a França

A disputa estadual também tem movimentado o meio político regional.
Cada vez mais, começa a ganhar a força em Araçatuba e região mobilização a fim de ligar as candidaturas de Doria à de Bolsonaro. Materiais de campanha, como adesivos com a denominação “Bolsodoria”, já são vistos na cidade.
Principal cabo eleitoral em Araçatuba do candidato tucano ao Palácio dos Bandeirantes, o prefeito Dilador Borges (PSDB) gravou vídeo na semana passada em que declara apoio a ambos.
O presidenciável nem seu partido, o PSL, declararam apoio oficial ao tucano no segundo turno. Tudo o que Bolsonaro fez foi desejar “boa sorte” ao tucano, conforme entrevista no último sábado. Doria, por sua vez, a fim de buscar identificação com o eleitorado de Bolsonaro, disse, publicamente, que o apoia na fase final da campanha.
Já do lado de Márcio França, na noite da próxima quinta-feira, haverá reunião de prefeitos de cidades da região com o objetivo de formar um grande bloco de apoio ao candidato do PSB. O movimento é liderado pelo prefeito de Birigui, Cristiano Salmeirão (PTB), conforme O LIBERAL REGIONAL noticiou na última sexta-feira.
De acordo com o petebista, a expectativa é de que mais de 30 prefeitos compareçam. O objetivo é fazer com que, nestas cidades, os prefeitos consigam a maior parte do eleitorado a votar em França. Todo esse apoio é uma forma de “retribuição” a recursos conquistados pelos municípios junto ao Estado desde quando o atual governador assumiu o posto, em abril deste ano.

marcio123rocha Administrator
Sorry! The Author has not filled his profile.
×
marcio123rocha Administrator
Sorry! The Author has not filled his profile.

Comment here