Médicos realizam captação de órgãos em professor que matou a esposa

A terça-feira (06) foi marcada por muita movimentação e mobilização desde as primeiras horas do dia na Santa Casa de Araçatuba. Equipes médicas da capital paulista e de São José do Rio Preto realizaram a captação de órgãos do professor de futebol Max Alberto Martins da Silva, que teve morte encefálica, após atirar contra a própria cabeça depois de matar a esposa com um tiro no último fim de semana em Andradina.

A morte de Max foi confirmada na tarde de segunda-feira (05) pelas equipes da CIHT (Comissão Intra-Hospitalar de Transplantes). A família autorizou a doação de órgãos, com exceção das córneas. Diante disso, a Central Nacional de Transplante foi acionada e encontrou pacientes compatíveis.

Equipes de cirurgiões captadores do Instituto do Coração e Hospital Bandeirantes, ambos de São Paulo e do Hospital de Base de São José do Rio Preto chegaram à Santa Casa de Araçatuba no fim da manhã. A primeira captação realizada foi a do coração, que começou por volta das 12h05. O procedimento terminou por volta das 14h. O órgão foi o primeiro a ser transportado em uma viatura da Guarda Civil Municipal e levado até o Aeroporto Dario Guarita. De lá, um avião fretado decolou rumo a São Paulo. O transplante ocorreu ainda durante a tarde de hoje em um paciente que não teve os dados divulgados.

Aproximadamente 30 minutos depois, a captação do pâncreas foi encerrada. O órgão também foi levado escoltado por uma viatura da Guarda e seguiu em outro voo fretado até o Hospital Bandeirantes, também na capital paulista. O fígado foi transplantado em um paciente que estava no Hospital de Base de São José do Rio Preto. Os últimos órgãos retirados foram os rins, que têm sobrevida entre 24 e 36 horas.

A Santa Casa de Araçatuba informou que a unidade já captou seis corações, 45 fígados e 108 rins e destacou a importância da doação de órgãos.

“Foi a 16ª captação de órgãos realizada neste ano pela Santa Casa de Araçatuba. Também pela primeira vez em 2018 foi captado um pâncreas e pela segunda vez um coração, o quarto desde 2015, ano de criação da Comissão Intra-Hospitalar de Transplantes para a gestão sobre avaliação de morte encefálica e entrevistas com famílias para divulgação da importância da doação de órgãos”, informou o hospital por meio de nota.

Após os procedimentos, o corpo do homem foi encaminhado para o IML (Instituto Médico Legal), onde passou por exame necroscópico. Um laudo deverá ficar pronto em até 30 dias para ser anexado ao inquérito da Polícia Civil.

O CRIME

O assassinato seguido de suicídio aconteceu na madrugada do último domingo (04) na residência do casal na rua Alexandre Salomão, em Andradina. O professor de futebol, que tinha 35 anos de idade, matou a mulher, de 25, com um tiro e depois atirou contra a própria cabeça.

A mãe da mulher, de 50 anos, contou em depoimento à polícia que as discussões entre Daniela Batista Martins da Silva e o marido começaram ainda durante a tarde de sábado (03), quando ele teria visto algumas mensagens no celular da funcionária pública. À noite, por conta do ciúme, os dois voltaram a ter uma briga e foi nesse momento que a mãe da jovem escutou os estampidos dos tiros.

A testemunha, assustada, foi até o local verificar o que tinha acontecido e encontrou a filha caída ferida a bala e o genro com um tiro na cabeça. Viaturas do Resgate prestaram os primeiros atendimentos. Daniela não resistiu aos ferimentos e morreu algumas horas depois na Santa Casa de Andradina. Já o homem foi transferido para a Santa Casa de Araçatuba, onde permaneceu internado em estado gravíssimo até ter a morte encefálica confirmada na tarde de segunda-feira.

você pode gostar também