Cidades

Prefeitura remove veículos para galpão isolado em estrada vicinal

a7 galpão.JPG

 

A Prefeitura de Castilho levou vários veículos que estavam em pátio na cidade para um galpão isolado onde funcionava o antigo Laboratório de Hidráulica da Cesp, em frente ao portão de acesso ao Condomínio Encontro das Águas (antiga Vila dos Operadores). A reportagem fez vários questionamentos à Prefeitura por meio da assessoria de imprensa, mas não houve resposta. No local, estão ônibus, vans, ambulâncias e outros veículos.
A transferência foi determinada poucos dias após o Ministério Público instaurar inquérito civil para apurar possíveis irregularidades no sucateamento da frota e contratação irregular para transporte de passageiros. Nessa quinta-feira, a reportagem apurou que a única van do município que ainda estava em operação, um minibus Ducato, também parou. Agora a Secretaria da Saúde do município não tem van para transporte de paciente.
No início de outubro, a reportagem de O LIBERAL REGIONAL recebeu a denúncia de que veículos do município estavam sendo sucateados para terceirização do transporte de paciente. Foi constatado que uma van tinha sido levada para Castilho, outras duas estavam em uma oficina especializada em Araçatuba (motores a diesel) e ambulâncias (gasolina e etanol) se encontravam em uma oficina de Andradina.
Durante a apuração, a reportagem constatou que a empresa contratada pela administração da prefeita Fátima Nascimento e de sua filha Janini Nascimento (secretária da Saúde) tinha contratado uma empresa sem registro na Artesp, o que é exigido pela legislação. Além disso, os números apresentavam diferenças de quilometragem percorrida para as mesmas cidades.
Com base na reportagem de O LIBERAL REGIONAL e devido a denúncia recebida, no início de novembro, o Ministério Público em Andradina, por meio da promotora Regislaine Topassi, instaurou inquérito civil público para apurar os fatos. A promotora enviou ofício a vários órgãos como a Artesp, Ministério do Trabalho, Junta Comercial e à Prefeitura de Castilho fazendo vários questionamentos quanto às denúncias feitas. A promotora espera as reposta para decidir se ajuíza ação ou arquiva o inquérito.

TRANSFERÊNCIA
Historicamente, os veículos da Prefeitura que estão fora de operação ficam no pátio co Ciec (Centro Integrado de Educação e Cultura), área de fácil vigilância, na entrada da cidade para um galpão isolado na estrada vicinal de acesso ao Iate Clube Urubupungá e áreas de rancho. O local, foi repassado pela Cesp à Prefeitura e é composto por três barracões menores em estado de abandono e um grande, onde estão sendo colocados os veículos do município.
Algumas pessoas de Castilho estranharam a movimentação dos veículos para o novo depósito, principalmente porque alguns foram levados em caminhões, outros foram rodando. Isso chamou a atenção e estas pessoas procuraram a reportagem de O LIBERAL REGIONAL para manifestar a preocupação quando ao risco de veículos serem depenados. Há peças em vans e ônibus que têm alto valor e de fácil remoção.
Em meados de novembro, a equipe de reportagem foi até o local. Havia um portão com cadeado, mas em determinado trecho tinha aproximadamente 10 metros de alambrado tombado, o que demonstrava que alguém passou pelo local. A reportagem obteve fotos dos veículos dentro do galpão. As três vans que estavam avariadas, foram levadas para o local, assim como ambulâncias.
Na mesma semana, a reportagem foi informada de princípio de incêndio no local. Duas viaturas – uma da brigada do município e outra do Corpo de Bombeiros de Andradina – foram para o local. Oficialmente a Prefeitura informou que foi “alarme falso”. Ou seja, não houve princípio de incêndio. A reportagem enviou e-mail à assessoria questionando o motivo da transferência e quantos veículos foram levados, como também se havia segurança no local. O e-mail foi enviado no dia 28 de novembro, mas não houve resposta.

MANUTENÇÃO
A reportagem apurou que as vans Sprinter Mercedes Benz, placas EGI 4027 (ano de fabricação 2012), EGI 4033 (2013) e EGI 4011 (2009), ficaram longo período em uma oficina em Araçatuba e depois foram levadas. Foi exatamente a devolução de uma destas vans que chamou a atenção de um morador e ele telefonou à reportagem para fazer a denúncia. Ficou em operação apenas o minibus Fiat Ducato, placa DJM 7350 (2013/2014), cedida pelo governo do estado. Porém, com mais de 700 mil quilômetros rodados, este minibus parou recentemente, deixando a Secretaria da Saúde, comandada por Janini Nascimento, sem van. A Prefeitura tem de recorrer à empresa terceirizada.

DOCUMENTOS
Além de problemas de manutenção, a a reportagem apurou, também, que a administração da prefeita Fátima Nascimento não tem gestão de frota. Veículos do município já foram autuados por estarem com documentação vencida. Até mesmo uma ambulância, que envolveu-se em acidente, estava com o licenciamento vencido. Recentemente, outro veículo da frota da saúde foi autuado por não portar documento de licenciamento.

DA REDAÇÃO
Castilho

snpaula Author
Sorry! The Author has not filled his profile.
×
snpaula Author
Sorry! The Author has not filled his profile.

Comment here