AndradinaCidades

Zona azul agrada comerciantes no centro de Andradina

DA REDAÇÃO – ANDRADINA

Comerciantes da região central de Andradina estão entusiasmados com o retorno da zona azul, reimplantada de forma moderna com plataforma integrada e 100% digital, democratizando o uso das vagas nas vias públicas do centro e fomentando as vendas do setor varejista. O sistema está sendo gerenciado pela concessionária Andrapark, que tem amplo know-how no setor.

O presidente da Associação Comercial e Industrial de Andradina, Otávio Uchiyama, explica que quando não havia a zona azul, os próprios comerciantes e empregados do comércio acabavam ocupando todas as vagas das vias públicas na região central, uns em frente aos estabelecimentos dos outros, deixando os clientes sem opção para estacionar os veículos e fazer compras no centro.

Ele disse que, “Por falta de vagas, muitas pessoas, inclusive consumidores de cidades vizinhas, muitas vezes deixavam de fazer compras no centro da cidade. Agora está fácil estacionar no centro comercial, e isso aquece o comércio, principalmente neste período que há aumento no volume de vendas devido ao período natalino.”

Uchiyama ainda disse, “Eu nunca conseguia estacionar em frente à sede da Associação Comercial, e agora, sempre que preciso, estaciono na porta. Em média, no final do ano, o comércio registra um aumento de 30% no volume de vendas, sendo que este ano o número promete ser ainda maior na região central, pela facilidade da recente implantação da Zona Azul”.

A comerciante Miriam Guisso Sena, que tem estabelecimento na rua Paes Leme, está há quatro anos no local. Ela afirma que, “Sem zona azul, não existia vagas para o consumidor no centro, porque as pessoas que trabalham na região paravam seus carros pela manhã e deixavam o dia todo na vaga”.

Miriam diz que ainda não foi possível contabilizar as vendas após o rotativo , mas garante que aumentou muito o fluxo de pessoas em seu estabelecimento, inclusive porque é ponto de vendas da AndraPark, concessionária que administra o serviço.

Miriam explica que ser um ponto de vendas agrega muito valor ao seu negócio, porque as pessoas entram para comprar o tiquete e acabam consumindo algum produto. Em seu estabelecimento, conforme dados da AndraPark do dia 30 de novembro, entraram 51 pessoas para comprar tíquete da zona azul.

A gerente de loja de confecção instalada na rua Ceará e que também é um ponto de venda, diz que, “A loja é nova, está instalada há apenas três meses, e nas últimas três semanas muita gente entrou para comprar o tíquete e acabou conhecendo o estabelecimento. Sem a zona azul, era impossível os clientes conseguirem uma vaga para estacionar no quarteirão da loja. Muitas vezes o cliente ligava e parava em frente à loja, e nós íamos até o carro entregar várias peças em consignação para provar em casa”, explicou a gerente, lembrando que agora as clientes conseguem estacionar e entrar na loja com comodidade e conforto. Em um único dia (30) 36 pessoas entraram na loja por causa da zona azul.

Uma comerciante que sofria muito com a falta de vagas é Neli Mary Libert Dias da Silva Cestari, de empresa instalada na rua Orensy Rodrigues, que trabalha com a venda e manutenção de purificadores de água.

“O dia todo as vagas eram ocupadas geralmente pelos mesmos veículos, e os clientes, para levar ou pegar alguma mercadoria, enfrentavam problemas, porque os produtos são pesados e grandes. Minha sorte é que a vizinha autorizava utilizar a garagem e eu avisava os clientes. Agora, com a zona azul, eles conseguem parar em frente à loja”, explicou. Na empresa em um único dia registrou movimento de 25 pessoas para comprar tíquete da zona azul.

Comment here