AndradinaCidades

Zona azul agrada comerciantes em período de intenso movimento no centro

DA REDAÇÃO – ANDRADINA

Nos períodos de intenso movimento comercial estacionar na área central de Andradina era um desafio à paciência. Como polo regional de negócios, a cidade atrai pessoas de várias cidades vizinhas e até mesmo de Três Lagoas. No período natalino o problema sempre se agravou. Com trecho da Rua Paes Leme (principal eixo comercial da cidade) transformado em calçadão, a questão do estacionamento poderia ser um caos. Mas não foi. Comerciantes atribuem a normalidade ao sistema de estacionamento zona azul, gerenciado pela Andrapark e implantado no município desde o dia 1º de novembro.
Para comerciantes ouvidos pela reportagem, o retorno da zona azul de forma moderna com plataforma integrada e 100% digital, foi fundamental para o bom gerenciamento das vagas. Eles destacaram o sistema implantado pela Andrapark e que facilita o acesso das pessoas. “Hoje não há conflito. Os clientes encontram facilmente as vagas”, disse uma comerciante que é ponto de venda da Andrapark. Segundo esta comerciante, enquanto a estimativa era de aumento nas vendas de 5% a 10%, em seu estabelecimento foi superior a 25%. Ele atribui isso às pessoas que entravam para comprar tempo de estacionamento e acabavam adquirindo produtos da loja.
“Por falta de vagas, muitas pessoas, inclusive consumidores de cidades vizinhas, muitas vezes deixavam de fazer compras no centro da cidade. Agora está fácil estacionar no centro comercial, e isso aquece o comércio, principalmente neste período que há aumento no volume de vendas devido ao período natalino”, disse Otávio Uchiyama, da Associação Comercial e Industrial de Andradina, durante na primeira quinzena de dezembro.
Os comerciantes admitem que por ser um sistema completamente novo e 100% digital, algumas pessoas ainda enfrentam dificuldades para entender. No entanto, destacaram que as agentes da Andrapark atuam com paciência e conhecimento para esclarecer as dúvidas existentes. A grande maioria aprova o sistema implantado em Andradina.

SEGURANÇA
Quanto à questão da segurança dos veículos, abordada por algumas pessoas, a Andrapark, cuja empresa controladora opera sistemas semelhantes em várias cidades brasileiras e prepara-se para a internacionalização, explica que o seu trabalho é de gerenciamento de vagas criadas pelo município.
A Lei Municipal 3.440/18 dispõe sobre a alteração e consolidação das normas atinenses ao Sistema de Estacionamento Rotativo pago nas vias e logradouros públicos do município. A lei estabelece as regras e até mesmo quem pode ser isento das taxas. A própri lei estabelece que o gerenciamento das vagas pode ser concedido ao setor privado, mediante pagamento mensal não inferior a 10%.
Para implantação da zona azul houve amplo debate com a sociedade, a lei foi aprovada pela Câmara e depois houve o processo licitatório, acompanhado por técnicos e advogados do município.
“Ao Poder Executivo Municipal oui à eventual concessionária não caberá responsabilidade por acidentes, danos, furtos ou prejuízos de qualquer natureza, que os veículos dos usuários venham a sofrer nos locais destinados ao sistema de Estacionamento Rotativo, notadamente porque o sistema implantado por esta lei tem por objetivo a rotatividade das vagas e não a vigilância nelas estacionados”, diz o artigo 15 da lei municipal.

JURISPRUDÊNCIA
A Justiça de Araçatuba julgou improcedente ação movida por um munícipe contra a Arapark, concessionária da zona azul, pelo furto de um veículo ocorrido em janeiro de 2017, no Bairro São João. Na decisão, de agosto de 2018, a juíza negou o pedido do munícipe e esclareceu que não poderia ser acolhido porque as empresas gestoras de estacionamento rotativo, como a Andrapark, em Andradina, não têm obrigações e responsabilidade de guarda e zelo dos veículos estacionados mediante pagamento de tíquete.

 

Comment here