Araçatuba

Artistas locais se unem em exposição que valoriza o lado religioso do Natal

Ele é um dos principais símbolos do Natal e, desde o último dia 7, está representado de várias formas em Araçatuba. De palha de milho, cabo de vassoura ou até mesmo de esponja de aço. O material ou a técnica empregada não importa. O objetivo é sensibilizar a população quanto ao valor religioso do Natal.
É com esta finalidade que o MAP (Museu de Artes Plásticas de Araçatuba) está recebendo, pelo segundo ano consecutivo, uma exposição de presépios. Desta vez, foram preparadas 35 obras, que, ao mesmo tempo, expõem o talento de seis artistas da cidade. No espaço, localizado junto ao Teatro Castro Alves, estão trabalhos produzidos por Júlio César Coelho, Ângelo Poura, Michele Santos, Aparecida de Fátima, Márcia Porto e uma artista identificada apenas como Celia. A sensibilidade e a criatividade são marcas em comum nas peças.
Maria, José, o Menino Jesus, os três Reis Magos e os animais são facilmente identificados em presépios feitos também com rolhas de garrafa de vinho, madeira e gesso. Há ainda peças que se destacam pela policromia (mistura de várias cores), técnica de entalhe e pinturas que deixam o material empregado com a impressão de que o presépio foi feito de metal. A dedicação em reverenciar com arte a mais famosa das festas cristãs já levou muitos desses trabalhos a serem expostos em outras cidades, como conta Júlio César, um dos expositores e também responsável pela organização do museu.
Dele vem a reflexão sobre o propósito da exposição: “Fico aqui no Centro observando, da janela do museu, pessoas correndo atrás de um celular novo, preocupadas em comprar presentes nesta época do ano, mas, às vezes, despreocupadas em valorizar o lado religioso do Natal. Aqui, então, estão os presépios, que chamam a atenção para o nascimento de Cristo”. Artista plástico e artesão há mais de três décadas, ele guarda uma relação com os presépios que vai além da arte. Quando tinha 15 anos, teve meningite e ficou internado por 11 dias. Durante esse período, pensou em fazer uma promessa para receber a cura. Se curado, faria pelo menos um presépio a cada ano. Desde a cura, até hoje, coloca em prática suas obras, sempre com muita dedicação.
Ele ressalta que, desde o início da mostra, há cinco dias, caravanas da região têm vindo, além de grupos de idosos e de escolas. O artista, juntamente com Márcia Porto, também tem uma tela exposta sobre o tema.

SERVIÇO
Para conferir a exposição, não paga nada. A mostra é aberta ao público, com entrada franca. Aberta desde o último dia 7, sua duração vai até 6 de janeiro, “Dia de Reis”. Os trabalhos podem ser vistos das 8h às 12h e das 14h às 21h. O endereço é Rua Duque de Caxias, 20, Centro.

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

Comment here